5 de fev de 2012

Catálogos eletrônicos de bibliotecas públicas


Segue rápida análise de catálogos eletrônicos de algumas das poucas bibliotecas públicas que os possuem (mérito delas) e as impressões iniciais, bem incompletas e repletas de brincadeiras que podem ser dinamitadas pelos colegas:

- Bibliotecas da cidade de São Paulo: visual pobre e pouca ou nenhuma interatividade. Para descobrir o endereço das Bibliotecas que possuem determinado livro é preciso sair do catálogo: um link no nome da biblioteca ou um script em que ao passar sobre o nome abrisse o endereço ajudariam.
Quando determinado livro está disponível em várias bibliotecas, duas barras laterais são abertas, principalmente se você utiliza um notebook ou netbook de tela de 14 polegadas. É um saco navegar em duas barras!
Em breve deve ser disponibilizada versão Web nova nos moldes das utilizadas nas Bibliotecas de Manguinhos e Niterói no RJ.

- Biblioteca de São Paulo: visual moderno, pesquisa tipo "google", informações básicas do livro (ponto contra, mas será que o usuário comum precisa de uma ficha catalográfica completa?!, enfim, um botão para ver ficha detalhada seria bem vindo!). A maior parte dos livros já está com foto da capa disponível e já é possível realizar a renovação de empréstimos via site!
Seria bacana ao invés de aparecer código colocarem localização do livro ou código de localização... sei lá!

- Bibliotecas de Santo André: falta "design" para o catálogo, parece tela de trabalho de analista de sistemas, aquele negócio todo quadradão! Mas o funcionamento é bom e isso importa muito.
Possui uma hemeroteca digital há vários anos. Deve ter sido pioneira aqui em São Paulo. Vale a pena pesquisar isso!

- Biblioteca Pública do Rio Grande do Sul: poluição visual como resultado da busca, chama a CETESB (ou a companhia similar em terras pampas!)! Entretanto, a idéia é boa, bem similar aos resultados de pesquisa do SCIELO, entretanto, com mais cores. A velha, mas pouco utilizada por aqui, possibilidade de selecionar registro é bem vinda, além do famoso dispositivo de passagem de mouse que mostra o que significa determinada sigla.
Achei engraçado um texto enorme sobre determinado registro: Obra indisponível e um :( Informativo, mas hilário!!!! Pesquisem lá pelo livro Macunaima para ver!

- Bibliote Pública do Paraná: achei a Pesquisa Geral meio poluída, mas sem nenhuma estravagância, talvez essa tela devesse ter menos informação e deixar elas todas para uma Pesquisa mais específica.
A apresentação das obras encontradas é bem diagramada apesar de não mostrar as capas das obras.
No item Localização na estante há um Tipo de empréstimo denominado "Normal"... sou lerdo para entender o que significa, help me!

- Biblioteca de Manguinhos: simples e direto, evolução em relação ao catálogo utilizado em São Paulo. Como todos, precisa de alguns ajustes, pois a solução para a falta de endereço anterior leva a uma página com mapa do Google... acho um exagero também fazer tudo isso, basta um link para o Google Mapas e se a pessoa quiser clica. Parece um contra senso de minha parte, pois outra hora reclamei do número de cliques, mas neste caso, penso em acesso via Ipad, celular ou redes lentas, que podem demorar para abrir o mapa ou consumir bytes preciosos na conta 3G do pobre cidadão (meu caso!).

Bibliotecariada, ao invés de ficar fazendo levantamentos bibliográficos e afins, vamos fazer mais relatórios e pesquisas baseadas em realidades, desde que gestores de unidades de informação (chiquérrimo!) abram as portas para avaliações reais, sem esconder falhar e problemas e sem marketeirismo exacerbado.

Me diverti!

Um comentário:

Biblioteca de São Paulo disse...

Olá, William Okubo!

Que bom que gostou do layout da seção de consulta online ao acervo da Biblioteca de São Paulo!

Gostaríamos de salientar duas questões:

1. Em relação às informações básicas do livro: ao clicar no título do livro pesquisado, o visitante do site consegue visualizar mais detalhes sobre a obra, como data e local de publicação e quantidade de páginas. Pode acontecer de o usuário não encontrar a sinopse do livro em alguns casos. Isso se deve ao fato de que essa informação tem sido inserida apenas de um tempo para cá;

2. Em relação ao código: o código que aparece é justamente o código de localização do livro. Quem anotar essa informação consegue encontrar o livro na biblioteca sem precisar fazer mais consultas no catálogo. Portanto, sua sugestão já é uma realidade!

A Biblioteca de São Paulo agradece a sua atenção!