17 de fev de 2010

Sobre uma cruz

Na Ilha do Mel, no Paraná, de uma praia onde estava avistei uma cruz no alto de um morro.
Aquela cruz chamou tanto minha atenção que retornei pelo caminho quente e aparentemente desolado sobre a areia quente do mormaço que ali fazia.

Não me contentei em me aproximar e tirar as fotos. Fui impelido a subir o morro e o fiz.

A subida não foi fácil, pois depois conversando com um nativo descobri que ele se chama "morro do sabão" devido a dificuldade da subida.

Depois de alguns minutos lá estava eu....  Não sei se de medo do lugar tão estreito onde fora colocada a cruz ou do cansaço da subida, eu estava tremendo. Tive que aguardar um pouco antes de tirar as fotos do que eu via e da própria cruz.

Foi quando pensei no caminho que enfrentado pelos condenados à morte de cruz na famosa gólgota onde Jesus foi crucificado.

Eu fui até lá sem nenhuma cruz, mas muitos outros enfrentaram tal caminho com suas cruzes às costas.
Eu fui lá porque quis ir. Muitos foram até lá obrigados.
Jesus o fez por um designío maior. Só de subir sozinho imagino a dor enfrentada pelos homens que sofreram tal condenação.
Aquela subida me faz pensar o quão beneficiados somos hoje em dia. Não temos que fazer nada por obrigação, nem somos escravizados (infelizmente ainda há muitos escravos, é fato).

Temos liberdade e não sabemos vivê-la.


Hoje temos a opção de ir até a cruz, não temos que levá-la!

2 comentários:

Lu.Hannah disse...

.





.
Depois de ler o texto me sinto ainda mais grata pela cruz e pela liberdade.

rogsilva disse...

Que belíssimo texto Will.