29 de mai de 2007

Naufrago

Uma das piores dores que há
É amar e não ser amado.
É como navegar num mar bravio desgovernado
É como por imensas ondas ciumentas ser de um lado a outra lançado
É ter o coração pelos raios e trovões da solidão assolado
Ainda é ter toda a alegria e riso por corsários roubados
E a esperança lançada numa praia deserta
E ali nos destroços tempos leva sempre para se reconstruir.

Esta é a lenda viva de meu até aqui
Eterno naufrágio amoroso!

Senhor, ensina-me a navegar contigo!
Leva-me daqui,
E vencerei qualquer forte tempestade
E até sobre as águas contigo andarei!


Nenhum comentário: