13 de mar de 2010

Sou um romântico?

Muito bem, eu me acostumei a dizer que não o sou mais.

Mas analisem alguns fatos comigo.

Ontem, quinta-feira, às 22h20 minutos estava voltando da aula de inglês (volto andando até meu apto) quando decidi religar meu iPod e ouvir alguma música durante a caminhada. Liguei-o e escolhi ouvir uma coletânea do velho The Police.

Comecei com Roxanne e no meio da caminhada cheguei à faixa intitulada "Message in a bottle", duas das minhas canções preferidas deles.

No meio desta última senti uma saudade tremenda de estar com uma mulher em algum lugar à meia-luz conversando e depois dançando ao som dessas canções.

Sai do transe e me vi caminhando diante da Igreja da Consolação no Centro e mais uma vez divaguei, oras eu poderia estar com esta mulher dançando aqui mesmo, pois não importa o lugar, desde que estivéssemos conectados.

Enfim, não sou mais romântico. Devo ser mesmo um maluco!

Talvez o seja mesmo, entretanto, acredito que possa ainda encontrar uma maluca para dançar comigo em plena avenida...

Bem, eu sempre vou e volto aqui.... eis outro retorno!

W.

Um comentário:

Lu.Hannah disse...

Já me peguei milhares e milhares de vezes tentando negar sonhos.

Mas esse caminho é mto tortuoso.

Detesto me sentir vulneravel, e o amor romantico costuma fazer isso com a gente, por isso o nego até a morte, mesmo que no meu peito ele me consuma.

Não há nada de errado em querer que alguem se interesse pelo ritmo do seu coração e que por isso aceite a dança.

A dança, como todo tipo de arte,não deveria se limitar a espaços.
Espero que o Amor para você aconteça de modo inusitado e surpreendente.

E que a música nunca acabe, pois a dança pode te encontrar em um lugar qualquer.




Não desligue o som.
:)